Periodontia » Rotina Prática

Exame e avaliação: para avaliar as condições periodontais e o padrão de controle de placa; tratamento de apoio, quando necessário: utilizado para informação e motivação do paciente, fornecer instrução sobre métodos de controle de placa e realizar raspagem e polimento.

Exame e Avaliação:

- condições periodontais:
inflamação gengival (sangramento)
perda de tecido de periodontal de suporte (retração + profundidade de bolsa)
envolvimento de furca e outras situações especiais
alteração de mobilidade dentária
exame radiográfico

- padrão de controle de placa:
registro de placa residual
fatores retentivos
escovação traumática

Tratamento de Apoio:
informação e reforço da motivação

A prescrição de antisséptico na Periodontia tem de ser cuidadosamente indicado por serem tóxicos e apresentar diversos efeitos colaterais, o controle mecânico da placa é a chave do sucesso do tratamento periodontal. Os agentes químicos são classificados por sua substantividade. Certos antibióticos, compostos quartanários da amônia, compostos fenólicos, agentes oxidantes, fluoretos e alcalóides vegetais, por apresentarem baixa substantividade, são tratados como antimicrobianos de primeira geração.
Os bisbiguanídeos estão no grupo dos antimicrobianos de segunda geração, que se caracterizam por apresentar substantividade alta.

 

1ª. Geração (baixa substantividade):


- Compostos quartenários de amônia: redução de 8% da placa bacteriana;
- Compostos fenólicos: redução em 25% da placa bacteriana;
- Alcalóides vegetais: redução em 30% da placa bacteriana;
- Agentes oxidantes: redução em 28% da placa bacteriana.

 

2ª. Geração (alta substantividade):


- Digluconato de Clorexidina a 0,12% ou 0,2%:
A clorexidina se adsorve às superfícies dos tecidos bucais, inclusive dentes, e é então liberada em forma ativa. Os mecanismos cinéticos da adsorção da clorexidina por meio de bochechos, e sua liberação lenta pela saliva foram testados e quantificados com clorexidina marcada radioativamente. Aproximadamente 30% de 10 ml de uma solução de clorexidina a 0,2% irão se aderir às superfícies bucais. Moléculas de clorexidina aderidas às proteínas salivares serão liberadas sob forma ativa no período de 8 a 12 horas. Concentrações reduzidas poderão ser encontradas até 24 horas após o bochecho.
A clorexidina é ativa contra microorganismos Gram positivos, Gram negativos e leveduras. Devido a sua natureza catiônica, a clorexidina tem grande afinidade pela parede celular dos microorganismos, alterando suas estruturas. O equilíbrio osmótico é perdido e, em conseqüência, a membrana citoplasmática destruída; formam – se vesículas e o citoplasma precipita – se, impedindo com isto, a regeneração da parede celular, impedindo a bactéria de se regenerar.

 

Indicação:
Uso restrito e corretamente indicado nas situações que se fizerem realmente necessárias, como pacientes que por um determinado período acha – se incapacitado, pacientes com problemas de coordenação motora, determinadas doenças oportunistas e / ou agudas e comprometimento de ordem sistêmica. Nenhuma substância antimicrobiana deve ter seu uso excessivamente prolongado, quer pela eficácia duvidosa, quer pelo risco de reações adversas ou alérgicas, ou pela possibilidade de que os microorganismos tornem – se resistentes à substância usada.
Enquanto não houver a remoção da placa e cálculo através da raspagem e alisamento corono – radicular, o efeito da droga será restrito ao seu tempo de uso. Ao se parar a medicação, haverá a re-colonização das superfícies bucais.

Efeitos Adversos:
O efeito colateral mais comum da clorexidina é a formação de pigmentação extrínseca amarela – acastanhada dos dentes e língua, dependendo do tempo e concentração da droga utilizada, havendo variações de indivíduo para indivíduo. Perda do paladar, sensação de queimação, descamação de mucosa e ulcerações podem ser observadas em alguns indivíduos que fazem uso da droga por períodos muito longos.

 

Fluoretos

 

Além de atuar como redutor do índice de cárie (Na e MFP Na), destaca-se sua ação antimicrobiana que parece estar relacionada ao acúmulo e metabolismo das bactérias e à presença do íon estanho na composição (fluoreto estanhoso). O fluoreto estanhoso é conhecido como maior possuidor de propriedades antiplaca.

São encontrados no mercado sob a forma de gel, solução ou verniz.
Mesmo com eficácia comprovada, o uso de enxaguatório bucal de uso individual deve ser indicado para pacientes que apresentem alto risco de cárie, a exemplo daqueles sob tratamento ortodôntico, com higiene precária e pacientes que estejam recebem radioterapia na região da face.

Efeitos adversos: Variam de acordo com a quantidade ingerida desde fluorose até o óbito, alterações de paladar, manchas nos dentes, curta vida útil. Os fluoretos são aceitos pela ADA como efetivos no controle e redução das principais doenças bucais, mas não como redutor de placa bacteriana.

 

Óleos Essenciais

 

São compostos fenólicos que agem inespecificamente sobre bactérias, não havendo desequilíbrio nem proliferação de microrganismos oportunistas. O único agente nesta categoria é o Listerine.
São largamente utilizados como desinfetantes, antifúngicos e antissépticos, pois agem nos microrganismos rompendo a parede bacteriana, inibindo os sistemas enzimáticos e diminuindo os lipopolissacarídeos e o conteúdo protéico da placa bacteriana.

Os óleos essenciais são inalteráveis e possuem baixa substantividade.

Efeitos adversos;
Sensação de queimação, gosto amargo, manchas nos dentes e injúrias no tecido bucal.

 

Compostos Quaternários de Amônia

 

São agentes catiônicos tensoativos, favorecendo sua atração sobre as superfícies dos dentes e da placa e alterando a tensão superficial. Neste grupo estão incluídos o cloreto de cetilpiridino (Cepacol e Scope), o cloreto benzalcônico e o cloreto benzetônico. O cloreto de cetilpiridino é efetivo contra gram positivas,provocando o rompimento da parede celular bacteriana.
Este produto está no mercado sob a forma de soluções para bochechos em concentrações de 0,05% ou 0,1%.

Efeitos adversos;
Seus efeitos colaterais são: manchas nos dentes, queimação e ulceração da mucosa, aumento da formação de cálculo e descoloração da língua.

 

Triclosan e Sais Minerais

 

É um antisséptico não iônico de baixa toxicidade e largo espectro de ação, não provocando desequilíbrio na cavidade bucal. Possui baixa substantividade e rápida liberação de sítios de ligação, devendo ser combinado com produtos que aumentem sua permanência, como é o caso de sua associação ao copolímero Gantrez. Outras associações também têm sido realizadas, isto é, com citrato de zinco que é efetivo contra a placa e com o pirofosfato de sódio que tem efeito antitártaro.
O triclosan pode se apresentar como constituinte de dentifrícios à concentração de 0,2 a 0,5% e como solução para bochecho à 0,03%.

Efeitos adversos;
Seus efeitos colaterais são: manchas nos dentes, queimação e ulceração da Mucosa

Periodontia » Saiba mais